top of page

Hidrocultura ou Hidroponia: Das Hortas Às Plantas Ornamentais.


A Hidrocultura saiu das estufas de cultivo de hortaliças e vegetais para ganhar espaço dentro das casas e apartamentos, mas agora com o cultivo de plantas ornamentais. Mas você sabe o que é a Hidrocultura ou Hidroponia? Vamos descobrir isso nesse post e como você pode cultivar essa tendência na sua casa.

A hidroponia é a técnica de cultivar plantas sem solo, onde as raízes recebem uma solução nutritiva balanceada que contém água e todos os nutrientes essenciais ao seu desenvolvimento. Nessa técnica, as raízes podem estar suspensas em meio liquido (NFT) ou apoiadas em substrato inerte (areia lavada por exemplo). Portanto, na hidroponia, a única fonte de nutrientes para as plantas é a solução nutritiva, pois, se houver substrato, este é inerte, ou seja, não é fonte de nutrientes como a terra e o húmus de minhoca.

Créditos: Canal do Horticultor

A História da Hidroponia: A palavra hidroponia vem do grego, dos radicais hydro = água e ponos = trabalho. Apesar de ser uma técnica relativamente antiga, o termo hidroponia só foi utilizado pela primeira vez em 1935 pelo Dr. W. F. Gericke da Universidade da Califórnia.

Gericke adotou o sistema de cultivo sem solo para as condições de campo, de tal forma que se tornou o primeiro passo para viabilizar o cultivo em escala comercial, levando a técnica à grandes plantações em galpões e estufas. Quando se diz que "Gericke é o pai da hidroponia" não significa que ele inventou o cultivo sem solo, mas trata-se de uma homenagem aos avanços científicos conquistados por ele e por ter pela primeira vez usado o termo hidroponia.

Muito comum no plantio de hortaliças em geral, a hidroponia também pode ser aplicada no cultivo de flores em casa ou, até mesmo, em apartamento e dar um toque especial à decoração do local.

Uma técnica similar à hidroponia, com utilização de aspersão de gotículas de água sobre as raízes de plantas suspensas, é conhecida como Aeroponia.

Créditos: LimeLight by Alcone - Sotox

Benefícios da Hidroponia:

  • As plantas geralmente são cultivadas em estufa, sem necessidade do uso do solo, aumentando a produtividade e qualidade dos produtos, visto que os nutrientes são balanceados e controlados.

  • O espaço o utilizado é menor e melhor aproveitado com esse sistema, sendo possível a adaptação para escala domiciliar.

  • O método diminui a quantidade de água utilizada, por possuir um sistema fechado.

  • Também reduz o uso de agrotóxicos - por ser dentro de estufa e mesmo por utilizar a água como 'solo', que deixa as plantas livres de problemas com doenças ou insetos provenientes da terra e de intempéries

  • É possível cultivar o ano todo, visto que as plantas não sofrem com as intempéries do tempo.

  • Este método de cultivo é um sistema bastante limpo e simples de ser conduzido, além disso não dá muito trabalho com transplantes, as plantas quando adequadas a este sistema desenvolvem-se muito bem.

Hidroponia de Plantas Ornamentais

A hidroponia com plantas ornamentais é mais simples o que a torna perfeita para ser implementada dentro da casa. Mais simples porque as hortaliças e vegetais precisam de muitos nutrientes e constante controle de adubação, ao contrário das plantas decorativas que demandam menos manutenções. Para ter sucesso utilizando esse método suas maiores preocupações devem ser escolher espécies que se adaptem bem à hidroponia (te ajudamos listando algumas mais abaixo) e a manutenção da água e as larvas dos mosquitos.

Algumas inspirações de como aplicar a Hidroponia na decoração:

Ah, os vasos também são importantes nesse processo! Os recipientes de vidro são os mais indicados, porque além de bonitos, eles permitem que se possa observar o desenvolvimento das raízes. Recipientes em metal ou cobre, principalmente os não tratados podem reagir com os elementos químicos contidos nos fertilizantes e, ainda pior, podem enferrujar, evite-os!

As Vantagens do Método

  • Não é preciso lembrar de regar as plantinhas todo dia.

  • Não tem sujeira na hora de transplantar as mudas para vasos / recipientes maiores.

  • As plantas podem se desenvolver mais rápido e dão menos pragas do que quando plantadas em terras.

  • São perfeitas para se ter dentro de casa por ocuparem muito pouco espaço.

  • Quando são usados vasos de vidro, toda a beleza do crescimento das raízes fica exposto.

Desvantagens

  • Como nós temos muitos casos de Dengue, Chikungunya e Febre Amarela que são doenças disseminadas pelas larvas do mosquito Aedes aegypti é necessário pingar algumas gotinhas de água sanitária na água, para que as larvas não se formem. 2 à 3 gotinhas de cloro não prejudicam o crescimento da planta e evitam a proliferação das larvas

Obs: Pesquisando em alguns blogs e grupos pela internet encontrei uma maneira mais natural de acabar com as larvas e até pequenos insetos nas suas plantações com terra. O BTI - Bacillus thuringiensis israelensis Berliner, que apesar do nome bem complicado, não passa de um grupo de bactérias é um produto que impede o crescimento de larvas e alguns pequenos insetos. Procure as instruções de usos nos rótulos e em casa de jardinagem especializadas.

Cuidados

  • No estágio inicial de crescimento das raízes, a troca da água deve ser feita semanalmente, mais especificamente a cada 3 dias!

  • Quando as raízes estiverem mais desenvolvidas (cerca de 5 ou 6cm) a troca da água pode variar entre 2 e 6 semanas.

  • É importante observar as folhagens, caules e raízes da planta para identificar se ela esta precisando de mais nutrientes ou da troca da água.

  • Se a planta apresentar lentidão no crescimento das raízes e no seu desenvolvimento, é possível que ela esteja precisando de mais nutrientes na água.

  • Sempre aumente o vaso ou faça poda das raízes quando elas se apresentarem volumosas ou compactadas.

  • Nunca deixe o vaso com contato direto à luz solar porque isso acelera a formação de musgo dentro da água.

Como Escolher a Espécie

Algumas espécies se adaptam melhor ao método hidropônico, enquanto outras se desenvolvem até precisarem ser transplantadas para outros vasos com terra. O jeito é ir testando e colocando as estacas na água e ver se o enraizamento acontece. Mas listamos algumas espécias com boa adaptação à Hidroponia para te ajudar!

As Melhores Espécies

Samambaias, Palmeiras, Coléus, Hera (Ficus Pumila), Maranta, Cróton, Monstera, Dracena, Ficus, Cheflera, Comigo-ninguém-pode, Filodendro, Espada-de-são-jorge e Papiro, Confete, Bambu-da-Sorte, Ficus-Lira, Maria-Sem-Vergonha,Tradescantia, Colar-de-pérolas, Jibóia (ou Hera-do-diabo) e Filodendros em geral, Costela-de-Adão, Aglaonema, Coleus, Schlumbergera, Tradescantia pallida, entre outras.

Como Começar?

Existem vários métodos de propagação de plantas, mas o principal utilizado para a hidroponia de plantas ornamentais é o de Estaquia. Ele consiste basicamente em cortar um galho, ramo ou folha (no caso das suculentas) e desenvolver as raízes para cultiva-la num outro vaso ou água.

Passo-a-passo

O processo pode ser diferente entre as espécies, mas basicamente devemos:

  1. Escolher um galho ou ramo que esteja saudável e firme.

  2. Fazer o corte abaixo dos nós/nódulos, que são pequenas "lombadas" mais grossas nos caules e ramos de onde saem novas folhas (e futuramente as raízes), deixando entre 2 e 5cm abaixo desse nó.

  3. Deixar apenas 2 ou 3 folhas acima do corte ou no topo dos galhos garante que eles vinguem melhor tanto na água, quanto na terra.

  4. É importante que pelo menos 1cm do ramo acima do nó fique submerso em água.

Obs1: Um ramo ou galho pode ter mais de um nó, ou ser único, você escolhe.

Obs2: Você pode começar esse processo com um recipiente pequeno, e quando as raízes se desenvolverem mais, trocar para um maior.

Quer Acertar na Adubação?

Como um dos principais cuidados que se deve ter no cultivo hidropônico é manter o nível correto da solução (água + fertilizante). Existem no mercado vasos especialmente desenvolvidos para este fim, com um marcador embutido para indicar o nível mínimo e máximo. O marcador também pode ser comprado avulso e adaptado a outros vasos. Uma outra opção é fazer em casa mesmo a marcação na lateral do vaso, baseando-se no fato de que cerca de 1/3 do agregado utilizado (argila expandida ou outros) deve ficar submerso.

Obs: Pode-se utilizar um fertilizante líquido genérico (NPK 10-10-10), adicionado à água, porém, corre-se o risco de haver cristalização dos nutrientes não absorvidos, que acabam se concentrando nas raízes. O resultado é que se torna necessária uma lavagem periódica das raízes, geralmente a cada 3 meses, para que a planta não seja prejudicada. É preferível optar pelo uso de uma solução fertilizante com fórmula especialmente desenvolvida para a hidrocultura, que pode ser encontrada nas lojas especializadas em jardinagem.

4.342 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
RECENTES
ARQUIVO
PROCURE
POR TAGS
bottom of page