top of page

Arquitetura Verde: Construções Sustentáveis


O Dia Mundial da Arquitetura é comemorado hoje, dia 1º de julho, no Brasil. A data foi escolhida para lembrar a fundação da UIA (União Internacional de Arquitetos) que aconteceu em 1º de julho de 1949. Pensando nessa data, resolvemos fazer um panorama com o momento atual da arquitetura e dividir com vocês 5 dicas para trazer a arquitetura sustentável para seu lar.

Foi no início da década de 80 que o conceito de sustentabilidade surgiu. Desde então, é cada vez mais comum que arquitetos se preocupem com o impacto ambiental que a construção de seus projetos pode causar. Aqueles idealizados dentro do conceito da arquitetura verde podem inicialmente custar um pouco mais, mas com uma análise a longo prazo, são nítidos os ganhos com monetários – como a redução no consumo de água e energia – e socioambientais. A sustentabilidade, a escolha dos materiais, a otimização dos recursos naturais e o impacto ambiental das construções sobre o meio ambiente e de seus habitantes começaram a ser considerados como pontos importantes.

Acredite ou não, mas O Brasil já é o quarto país com mais obras certificadas por sustentabilidade, segundo o Green Building Council Brasil (CBC). Estamos atrás apenas dos Estados Unidos, China e dos Emirados Árabes.

Hoje em dia, não é difícil achar projetos que já saem da planta equipados com atitudes 100% verdes. Mas para quem não vive em um desses lugares existem algumas ideias que são fáceis de adotar em casa e na decoração. Caso você se interesse pelo assunto, saiba que nunca é tarde para mudar! A ideia é reduzir o impacto ambiental, evitar desperdícios e ainda gerar economia.

Pensando nisso, reunimos algumas sugestões criativas para que pequenas práticas possam inspirar o seu dia a dia e trazer maior bem estar para a sua casa. Inspire-se:

1 – APOSTE NA TECNOLOGIA

A tecnologia facilita (e muito!) a nossa vida e acaba que na arquitetura não é diferente. Existem hoje muitas soluções sustentáveis no mercado como revestimentos e produtos à base de materiais reciclados, lâmpadas econômicas, materiais e móveis ecológicos para áreas externas, pisos que imitam madeira ou cerâmica, vasos sanitários com duplo acionamento, sistemas de iluminação inteligente com sensores de presença, tintas ecológicas, entre outros. Quando a gente adota essas tecnologias, agredimos menos o meio ambiente. E muitas vezes, o custo disso tudo é ainda menor!

2 – POUPE A NATUREZA

Para preservar o solo e a vegetação, existem algumas ideias que são fáceis (e talvez possíveis) de serem incluídas na sua casa, como por exemplo, um telhado verde, uma horta doméstica orgânica, compostagem, adotar painéis solares para geração de energia de forma menos poluente, entre outras possibilidades. Não há coisa melhor, do que por exemplo, ter uma hortinha com temperos frescos na cozinha. Hábitos saudáveis e uma maior conexão com o verde, que tal?

Quanto ao uso da água, em projetos de arquitetura verde, a ideia é usar sempre o mínimo necessário. Através da gestão inteligente, das tecnologias de reuso da água, da captação e utilização da água da chuva é possível reduzir drasticamente o consumo de água, bem como os gastos com este consumo.

A instalação de torneiras e chuveiros com temporizadores, a adoção do sistema de aquecimento solar de água são um exemplo de que a tecnologia cada vez evolui mais para ajudar estas ações.

3 – MATERIAIS SUSTENTÁVEIS E DE DEMOLIÇÃO

Há vários materiais de demolição que podem ser reutilizados, como madeiras, azulejos, ladrilhos, tijolos e metais. Existem empresas especializadas nisso, mas você também pode procurá-los em obras e locais onde eles foram descartados. Além de estarem com tudo na decoração contemporânea, muita coisa boa sempre pode ser reaproveitada e ter vida nova na sua casa!

Na escolha dos materiais ecológicos é necessária atenção extra, pois muitas vezes o que parece ser sustentável não é. Um exemplo é o bambu, que é encontrado em abundância em alguns países asiáticos. Seu uso deixa de ser sustentável uma vez que ele tem que ser enviado para o Brasil, gerando custos de transporte entre outros. O ideal é sempre utilizar o que tem em abundância na região onde será realizada a obra, uma vez que o transporte dos materiais gera emissão de gases poluentes e outros consumos desnecessários.

4 – VENTILAÇÃO, LUZ NATURAL E OTIMIZAÇÃO DE ESPAÇOS

Moramos em um país tropical e é importante pensarmos em construções bem arejadas e com boa ventilação para poupar o uso de energia elétrica. Ao facilitar a ventilação natural e cruzada, por exemplo, evitamos problemas futuros com espaços desconfortáveis, abafados ou frios demais. O que ajuda bastante também são as janelas maiores, que promovem não só a boa ventilação, como aproveitam melhor a luz natural. Ambientes integrados também demandam menos material e mão de obra, além de deixarem o dia a dia mais prático, e gerarem um consumo consciente de produtos.

5 – UPCYCLING E PRODUTOS ARTESANAIS

Já ouviu falar em Upcyling? A técnica nada mais é do que reaproveitar objetos e peças que inicialmente iriam para o lixo, transformando-os em algo novo com muita criatividade e contribuindo na diminuição dos resíduos. Investir em quadros, cerâmicas, tapeçarias e móveis artesanais também é uma bela forma valorizar a produção local e contribuir para o crescimento econômico sustentável. Fora que muitos desses itens são produzidos com materiais reciclados ou reutilizados.

Não podemos esquecer dos resíduos gerados pela obra. É importante separá-los na obra e dar a cada um a destinação adequada, isso faz com que seja mais fácil reutilizá-los ou reciclá-los.

Não se engane, a casa sustentável não é a casa que tem a maior parte coberta por plantas e áreas verdes, mas a que tem a melhor eficiência energética, reutilização e manejo de recursos e resíduos. E isso qualquer pessoa pode fazer dentro da sua própria casa.

Imagem: google, pinterest

257 visualizações
RECENTES
ARQUIVO
PROCURE
POR TAGS
bottom of page